Não Aprendi Dizer ADEUS!

Uma das coisas mais chatas e dolorosas por aqui, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS, é a constante participação em festas de despedida! Como estamos longe de casa, a maioria dos amigos que temos são pessoas que também estão longe de casa. Isso nos torna mais íntimos, mais próximos, compartilhando dores semelhantes, dúvidas semelhantes, dificuldades semelhantes, enfim, VIDAS SEMELHANTES! E como não poderia deixar de ser, nem todos estão aqui prá ficar de vez! Na realidade, a grande maioria veio para estudar, ou trabalhar em algum projeto, ou veio e decidiu voltar, por razões pessoais.

Isso torna tudo mais difícil, levando-se em consideração que morar fora nos torna mais sensíveis, mais quebrantados, trazendo às nossas amizades por aqui um significado muito mais forte! Logo que chegamos, bem no primeiro dia de Austrália, conhecemos pessoas de monte. Nem todos se tornaram nossos amigos de verdade, mas os que se tornaram, marcaram nossas vidas. E como tinha de ser, nem todos estavam aqui prá ficar…

Então, desde que chegamos, comecei a computar a dor de dizer adeus à pessoas que começavam a fazer parte dos nossos dias, das nossas vidas. Veja bem, você pode pensar: “Mas vocês estão fora há apenas 2 anos e alguns meses e já conseguiram fazer amigos que, ao partirem, provocam tanta dor?” Sim, a resposta é SIM! Quando compartilhamos sonhos, dores, frustrações, medos, dúvidas, quando precisamos de ajuda até mesmo prá comprar comida, porque você não conhece praticamente NADA, as relações tomam rumos muito mais profundos, os laços se aprofundam muito mais rapidamente do que em relações normais.

Nossa primeira despedida aconteceu logo na segunda semana de Austrália! Calma, não fizemos amigos com essa rapidez! Na verdade, quando viemos prá cá, já tínhamos bons amigos morando em Melbourne. Um grande amigo do meu marido, com quem ele morou e estudou no período da Faculdade, já estava morando aqui com a esposa e filho (Maurício, Eveline e Oliver). Por isso viemos com segurança, acreditando que as coisas seriam mais fáceis com eles aqui. Mas, advinhem? Ele foi transferido para outro Estado, no mesmo mês em que chegamos! Agora moram em Brisbane!

Logo na segunda semana, lá estávamos nós no Aeroporto de novo!

Depois de um tempo, lá vamos nós nos despedir de Raquel e Ricardo, que voltavam ao Brasil! Amigos queridos que passaram nosso primeiro Natal aqui com a gente!

Despedida no restaurante mexicano "Amigos"! Nome propício, não?

E por incrível ( e triste!) que possa parecer, uma semana depois lá se vão prá Suíça, de mudança, Cadú e Juliana, “grávidos” do pequeno Mark!

Casal querido que nos ajudou muito a RECOMEÇAR por aqui!

A próxima despedida aconteceu quando finalizei meu curso de Inglês. Você passa 5 horas por dia, 5 dias na semana, vendo as mesmas pessoas que compartilham de sua “homesick”, de suas lágrimas de saudades, da falta de sua vida anterior… Mais laços por afinidades, claro!

Senti muita falta dessa galera que me fazia rir MUITO!

Na próxima despedida, pensei que não daria conta! Marcus e Andréa, nossos amigos mais chegados, foram transferidos pros EUA! Estávamos então sem Cadú, Juliana, Marcus e Andréa, aqueles que nos deram a maior força desde que chegamos! Gente, doeu, viu?!

Eu só pensava uma coisa nesse dia: quero ir embora também!

Pensam que acabou? Antes tivesse acabado! Logo depois Patrícia, Cláudio e Laurinha terminavam seus planos por aqui! Lá vamos nós ao Aeroporto ( de novo!) chorar e dizer adeus para outros amigos do coração! Mas na despedida deles, conhecemos os casais Maurício e Natasha/ Rosana e Nixon , que agregaram à nossa turma e se tornaram MUITO queridos para todos nós! Obrigada, Pati! Você foi, mas dividiu pessoas maravilhosas conosco!

Da esquerda para a direita: Natasha, eu, Pati e Angela!

 Logo em seguida, uma das “Powerpuff Girls” deixou nossa turma de “Meninas Super Poderosas” do café da manhã! Nossas manhãs de sexta NUNCA MAIS  foram as mesmas sem ela… Sentimos falta dela toda vez que nos reunimos!

Sinto muita falta dessa família tão querida!

Recentemente, nos despedimos de outra família querida: Juliana, Daniel e Júlia linda! Também terminaram seu tempo aqui e voltaram para a Bahia!

Temos certeza de que um dia vamos nos reencontrar no Brasil, queridos!

E hoje, exatamente, estamos nos despedindo do Eugênio, Adriana, João Pedro e Luís Felipe! Somos conterrâneos dessa família querida (guaratinguetaenses, com orgulho!) e nos encontramos aqui em Melbourne depois de anos e anos sem nos vermos! Os filhos deles foram os primeiros amigos do meu filho por aqui e me lembro da alegria que senti ao ver meu filho sorrir e se divertir pela primeira vez, quando fomos visitá-los logo que chegamos!  Obrigada, queridos, pela amizade, pelo carinho, pela ajuda e companhia. Jamais nos esqueceremos de tudo que vivemos juntos por aqui!

Famílias Amigas!

Sei que esse post ficou enorme, como o vazio que fica no coração da gente quando temos que nos despedir de pessoas que amamos! Mas termino deixando um caloroso “ATÉ BREVE” à todos vocês que conquistaram um lugar especial em nosso coração!

 

Não Importa, SOU Turista Mesmo!

A verdade é que mudei muito nesses dois anos fora do Brasil. Como todo mundo, mudanças boas, outras ruins. Uma das boas é que desenvolvi um olho mais clínico prá Turismo, prá observar o belo em lugares ou situações do dia-a-dia. Prá enxergar Arte e Fotografia em tudo que é canto. Afinal, SOU UMA TURISTA PERMANENTE!

Acompanhe meu raciocínio: quando estou no Brasil, sou turista, porque, embora seja brasileira, não moro mais lá. Quando estou na Austrália, sou turista, porque, embora vivendo aqui, não sou australiana. Não conheço quase nada por aqui. Quando a gente se perde dirigindo nas ruas, fico admirando os novos lugares por onde a gente passa, ruas novas, bairros novos, tudo prá mim é motivo de observar, tirar fotos, admirar…

Claro, esse lugar é lindo até quando é feio. Em qualquer lugar encontramos cenas pitorescas, casinhas lindas, igrejinhas maravilhosas, (amo Igrejas!) lagos e natureza prá dar e vender. Mas mesmo quando estive no Brasil, em julho passado, me pegava observando coisas, lugares, pessoas, enxergando tudo meio diferente, com olhos de turista MESMO! Gosto disso.

Sempre que estamos fazendo alguma coisa com nossos amigos, de repente saco da bolsa minha câmera e todos comentam que sou a mulher das fotos, que fotografo TUDO, mas veja bem… SOU turista! Hahahahahahah! Não sei quanto tempo vou ficar aqui, nem prá onde iremos depois daqui; o futuro não me pertence, de fato. Por isso, quero registrar cada bom momento, como lembrança prá um futuro distante. Ou próximo.

Esse fim de semana que passou, recebemos a visita de alguns brasileiros que estavam em Sydney e vieram conhecer Melbourne. Adoro vida de turista nessa cidade linda. Vou aos passeios (embora já os tenha feito “zilhões” de vezes), tiro fotos, curto mesmo! Cada momento é único, cada visão das coisas é única, cada sensação é exclusiva… Quero ficar em Melbourne até meu último dia por aqui, vivendo, olhando e curtindo tudo com olhos de turista! Essa cidade merece.

Pagando mico no turismo com as amigas brasileiras!

2 Anos Depois… Inacreditavelmente FELIZ!

Inacreditável. Impossível. Inimaginável. Inatingível. Se alguém me dissesse isso, há um ano atrás, certamente eu riria. Ou choraria. Inacreditavelmente aconteceu. Impossivelmente (existe isso?) real. Inimaginavelmente verdadeiro. Inatingivelmente atingido (essa foi das boas!). Não tenho palavras para descrever o verdadeiro milagre (sim, milagre! Dos bons…) que significa estar aqui blogando sobre meu SEGUNDO aniversário de Austrália!

Para quem não sabe, sofri muito de saudades durante o primeiro ano longe do Brasil. Noites sem dormir. Fiquei várias vezes doente. Literalmente. Corpo e alma. Muito mais alma, o que gerou vários sintomas no corpo. Coração doente, quebrado. Confuso. Abatido, desanimado. Mesmo sabendo a maravilha que é viver aqui. Mesmo conhecendo coisas incomparáveis por aqui. Minha dor era tamanha, que muitas vezes sentia meu peito prestes à explodir. Perdi a conta de quantas vezes chorei. De quantas vezes disse que ia embora. De quantas vezes lutei para não me apaixonar por esse lugar, por medo. Medo de me perder. Medo de perder minha essência. Medo de um dia ter que escolher…

E o medo, se você nunca o experimentou, paraliza a gente. Congela o crescimento. Torna a gente estático, imóvel. E coisa parada apodrece. Fede. Não serve mais prá nada. Por isso digo que foi um milagre. Um toque de Deus em mim. E de repente, UAU! Começo a compreender tantas coisas… Inconscientemente, começo a enxergar meus medos internos… Que amar a Austrália não significa DEIXAR de amar o Brasil. Que ter uma vida legal na Austrália não significa APAGAR as coisas lindas que vivi ( e ainda vou viver) em minha terra! Que aproveitar tudo de incrível que a Austrália tem não significa TRAIR minhas origens. Que viver, falar, ler ou ouvir em outra língua não significa ABANDONAR a língua pela qual eu sempre fui apaixonada. Que conhecer pessoas, fazer novos amigos, não significa ESQUECER aquelas que fazem parte de mim, que me ajudaram a construir quem eu sou… Hoje sou livre para ter OS DOIS!

Hoje meus olhos estão completamente abertos. Não posso perder mais nenhum segundo. Não QUERO mais perder absolutamente NADA dessa oportunidade que a vida está me dando. Que Deus está me permitindo. Como sempre brinquei com minhas amigas, Deus gosta de me mimar. Ele faz isso o tempo todo. Acredito nisso. Piamente. Seriamente. E hoje, dois anos depois, posso dizer de verdade, sinceramente, como nunca disse antes: OBRIGADA DEUS, por ter me trazido aqui. Estou feliz. Inacreditavelmente. Inacreditavelmente feliz! Tão feliz, que mal posso acreditar…

“NÃO HÁ NADA COMO A AUSTRÁLIA!”

O Lado Deplorável da Copa Do Mundo!

Estava eu toda feliz e mal podendo me conter hoje com a estréia do BRASIL na Copa do Mundo, quando me deparei com uma notícia horrível ao entrar no Yahoo, prá ler meus emails! Ao ler a manchete, pensei rapidamente: Quer saber???? Não vou ler porque vai mexer comigo e hoje não quero que NADA estrague minha alegria!

Mas como eu ando num momento muito mais grato da minha vida, procurando coisas, situações, pequenos momentos que me tragam profunda gratidão e me façam encontrar mais razão e alegria de viver, pensei que talvez a notícia me fizesse ver como sou abençoada ao poder ver a Copa no meu cantinho, feliz e torcendo pelo meu país! Mero engano! Chorei, muito, ao ler isso, e continuo chorando ao escrever!

Porque no meu país, cheio de corrupção, de problemas, de gente levando vantagem em tudo, de pobreza, de problemas sociais, futebol é sinônimo de alegria, de festa, pro pobre, pro rico, prá todo tipo de brasileiro! No meu país, a vida pára literalmente nos dias de Copa do Mundo e uma galera muito “estraga-prazer” adora ficar falando mal, criticando o brasileiro que se envolve, se emociona, chora, vibra, falta ao trabalho, se reúne em volta da TV em qualquer lugar possível ou imaginável nos 4 cantos da nossa nação!

O recado é prá você, esse tipinho de brasileiro crítico, chato, infeliz, mal amado, amargurado, que não consegue deixar de reclamar, ser rabugento, irritante, nem mesmo numa época como essa… Querido-chato-inconveniente, leia a matéria abaixo e vê se consegue parar de falar mal de nosso país, de nosso povo e DAR MAIS VALOR prá vida que você tem! 

E que cada um de nós, ao assistir aos jogos, possa parar um momento e pedir à Deus que tenha misericórdia de um povo tão sofrido, impedido até mesmo de pequenos prazeres, como o de ver um bom futebol! E que também possamos agradecer por sermos brasileiros; mesmo com toda a sorte de problemas, ainda somos um povo MUITO abençoado! Obrigada Deus, porque “EU SOU BRASILEIRA, COM MUITO ORGULHO, COM MUITO AMOR!”

“EFE – 19 horas atrás

 Mogadíscio, 14 jun (EFE).- A milícia fundamentalista islâmica Al Shabab, que tenta derrubar o Governo Federal de Transição (FTG) da Somália, checa casa por casa nos arredores de Mogadíscio para apanhar as pessoas que assistem pela televisão as partidas da Copa do Mundo apesar da proibição imposta pelo grupo.

Neste fim de semana, eles foram ao distrito de Afgoi, 30 quilômetros a sudoeste da capital somali, e seqüestraram 30 jovens, que foram torturados e tiveram a cabeça raspada, confirmaram hoje à Agência Efe algumas das vítimas.

Em outro ataque, ao norte de Mogadíscio, a milícia atirou em um torcedor que morreu mais tarde no hospital, enquanto outros dez jovens, incluindo três meninas menores de 14 anos, foram sequestrados ontem.

“Estávamos olhando o jogo Alemanha-Austrália quando os milicianos colocaram a porta abaixo, abriram fogo e nos bateram até que alguns de nós perdêssemos os sentidos e depois nos prenderam”, disse Abdi Yare, que foi libertado esta manhã.

No sábado, os insurgentes mataram a tiros dois jovens que viam a partida Argentina-Nigéria e prenderam outros dez, que foram libertados após pagar uma “multa” de US$ 50 cada um.

Os grupos que lutam contra o FGT têm grande parte da Somália sob seu controle, incluindo quase toda Mogadíscio.

Estes grupos extremistas proibiram todo tipo de entretenimento, incluindo a música, o cinema e o futebol, nas áreas sob seu comando, usando como exemplo os Talibã que governaram o Afeganistão até 2001, quando foram depostos por forças internacionais.

Os torcedores somalis que se negam a perder os jogos da primeira Copa do Mundo africana veem as partidas às escondidas nas áreas controladas pelas tropas governamentais, sem garantias, no entanto, de que não serão atacados pelos extremistas.

Outros, mais precavidos, embora não menos fanáticos, optaram por viajar para Hargeysa, na região autônoma da Somalilândia, ou para os vizinhos Djibuti e Quênia, para poder ver as partidas sem correr risco de vida.”

Retirado do Yahoo Notícias – Hoje

“Depois De Um Ano Passa…” Mentira, Passa Nada!!!

Não tenho muita certeza se contei isso aqui no blog, mas acho que sim! Claro que não consigo me lembrar de tudo que já bloguei, mas me esforço… Bem, do que estou falando? Desde que cheguei aqui, ia conversando com as pessoas e elas sempre me diziam, em sua maioria, que depois de um ano as coisas melhoram, que a gente se acostuma e começa a ter uma vida diferente, se sentindo “em casa”… Especialmente os brasileiros, que sempre quiseram me animar e destacar as vantagens e (des???) vantagens de viver fora do Brasil… Digo vantagens e vantagens porque é assim mesmo que soa aos meus ouvidos:” viver aqui é tudo de bom”!

Longe de mim ser uma pessoa ingrata, cega ou até mesmo mal agradecida, em relação à tudo que a vida tem me proporcionado (quem lê meu blog sabe o quanto falo bem de tudo por aqui, até mais que deveria, eu acho…), mas a verdade é uma só: NÃO PASSA! Estou comemorando (será mesmo?) um ano e meio de Austrália! Moro numa casa legal (beeeemmm legal, acredite!), num bairro lindo (coisa de filme), numa cidade maravilhosa (nada à ver com o Rio de Janeiro, mas maravilhosa) e quando as pessoas leêm, ou ouvem isso, ou sabem disso de alguma forma, sempre imaginam um verdadeiro paraíso na Terra!

Estou cansada de receber recados, emails, comentários, de gente achando que viver aqui é o melhor que se pode ter no mundo, uma vida de “glamour” como brincam alguns ou de viagens, como perguntam outros, ainda hoje: “E a viagem, como está?” Que viagem, meu Deus do Céu??????? Não estou fazendo turismo, gente; tenho vida real como todo mundo! Tenho que lavar, passar, cozinhar, trabalhar, fazer dieta e exercícios, como todas as pessoas normais! E ainda tenho que fazer tudo isso em Inglês, tentando entender e me fazer entender diariamente, tentando ter certeza de que estou dizendo (e ouvindo) a coisa certa até prá comprar uma coisa besta no supermercado!

E o pior de tudo isso: temos que conviver com essa saudade insuportável, essa coisa apertada na garganta cada vez que a gente vê uma foto no orkut, cada vez que recebe uma carta ou email de alguém que você ama, cada vez que fica sabendo de um problema que você sequer poderia resolver se estivesse lá perto, mas poderia abraçar as pessoas e dizer o quanto se importa, mesmo não podendo fazer absolutamente  nada! Não passa… Definitivamente, não passa… A vontade de estar perto à cada aniversário de uma pessoa importante prá você, em dias de festas especiais ou feriados, em ocasiões que você realmente sente um buraco dentro do peito, um rombo no estômago, um sentimento quase incontrolável que faz você repensar no porquê de estar tão longe… sabe uma sensação de pensar “eu quero voltar prá casa???”

Não quero desanimar ninguém que está vindo prá morar, nem estudar, ou o que seja; apenas gostaria que as pessoas soubessem como muitos de nós nos sentimos longe da família, dos amigos, da nossa vida! E dizer àqueles que, como eu, estavam esperando “passar”, que a gente se acostuma sim, que a vida continua sim, que as coisas acontecem sim, mas é preciso saber viver com a falta de coisas e pessoas insubstituíveis na vida da gente… Têm dias que a deprê chega forte, que o choro fica insistindo em saltar de dentro da gente e que a TPM piora anos-luz! Hahahahaha! E aprender à conviver (e controlar!) isso tudo é que é o VERDADEIRO DESAFIO de morar no exterior… Sem dúvida alguma, quando eu for embora daqui, a maior conquista não terá sido um super Inglês, um curso legal, uma posição melhor ou um salário gigante… Terá sido, sem nenhuma dúvida, um caráter menos frágil  e um domínio próprio mais crescidinho, sem achar que o mundo roda porque estou nele! E viva o crescimento interior!!!

 

“Bem vindos à Melbourne”, no YOUTUBE!

Hoje saiu o primeiro vídeo blog da minha filha, depois de uma temporada de promessas!!! Agora ele está no YOUTUBE e todo mundo pode dar uma olhadinha!!! Tem um pouquinho da gente, misturado com um pouquinho de humor, de saudades, de música boa… Amigos e família vão gostar mais, porém é divertido prá todo mundo!

E aproveitem também prá conhecer o BLOG dela! Tem moda, músicas, livros, pensamentos, Austrália, variedades… Muito bom! Só não consegui fazer dela uma apaixonada por FUTEBOL, pelo  CORÍNTHIANS, mas…  fazer o que né? NINGUÉM É PERFEITO!!!!! Hahahahahahah!

www.brendanepomuceno.wordpress.com

Living In Harmony! 21 de Março… Feliz Dia da Harmonia Para Todos!

Conhecer e entender os costumes e as leis nos ajuda a uma integração melhor com a comunidade australiana! A Austrália é uma sociedade tolerante, diversa, com pessoas de diferentes origens culturais e étnicas! Os australianos vieram de todos os  cantos do mundo! Cerca de 43% dos australianos nasceram no estrangeiro ou têm um dos pais nascidos fora do país. Embora o Inglês seja a língua nacional, cerca de mais 200 línguas são faladas na Austrália! E eles também praticam uma ampla variedade de religiões!

Na Austrália, todos são livres prar expressarem e manterem as suas tradições culturais e religiosas, desde que dentro da Lei, e participarem e sentirem-se australianos! Se a pessoa for sincera e respeitadora para com as pessoas, idéias e tradições, certamente pode integrar-se MUITO BEM e ser bem sucedida por aqui! A liberdade e a igualdade que gozamos na Austrália depende de todos cumprirem as suas responsabilidades. A Austrália espera que aqueles que se achegam ao país sejam fiéis à ele, apoiando sua maneira democrática de viver e seus valores fundamentais! Estes valores incluem o respeito pelas Leis, a liberdade e a dignidade de cada pessoa e a IGUALDADE entre o homem e a mulher, a tolerância , justiça e compaixão para com os que passam necessidades! Isso é bem real por aqui! Pudemos ver isso de perto com os incêndios e as enchentes! Mobilização total prá ajudar! Um espírito cooperativo que nunca vi igual! Um povo que REALMENTE se preocupa com o outro!

Você tem o direito de ser respeitado e ter as suas necessidades consideradas com a mesma imparcialidade como as dos outros. Do mesmo modo, você deve respeitar os outros, quer tenham nascido  na Austrália, ou tenham migrado prá cá! As Leis por aqui servem prá garantir que nenhuma pessoa seja tratada com menos consideração do que as outras por causa da idade, raça, país de origem, sexo, estado civil, gravidez, crenças políticas ou religiosas, incapacidade ou até preferência sexual. Isto é aplicado à maior parte das áreas, incluindo EMPREGO, EDUCAÇÃO, acomodação, compra de mercadorias e acesso aos serviços tais como médicos, bancos e hotéis. Homens e mulheres são IGUAIS ao abrigo da Lei e PARA TODOS OS FINS!

A Austrália tem uma tradição de liberdade de expressão. Porém, é ilegal insultar, humilhar, ofender ou intimidar outra pessoa ou grupo por causa de quaisquer escolhas pessoais. Existe um programa do Governo chamado Living in Harmony (Vivendo em Harmonia), que promove os valores australianos acima, obrigação mútua e entendimento entre as pessoas de diversas origens! Também lida com a intolerância, através de projetos comunitários locais, parcerias com as organizações nacionais e uma estratégia pública, que inclui o DIA DA HARMONIA, celebrado em 21 de março de cada ano! Veja o site no meu blogroll! Quem dera essa fosse uma data MUNDIAL, em que todos os povos do mundo celebrassem essa harmonia entre os povos… Então, FELIZ DIA DA HARMONIA prá todos os povos do MUNDO!!!!

harmonia1

Convido a TODOS que leram esse post a fazer algo nesse DIA DA HARMONIA, seja em seu trabalho, em sua família, em sua Igreja ou qualquer outro lugar que você deseje, algo que demonstre harmonia, solidariedade, respeito pelo próximo! Coisas boas devem ser imitadas e seguidas! Comece você a semear HARMONIA onde você está…