Aprendendo Com Alice

Aqueles que me conhecem e convivem comigo, sabem da minha grande luta para ser uma pessoa grata. Eu diria que sou, mais ou menos, por assim dizer, tipo assim, indo direto ao ponto, uma pessoa que sempre quer mais. Quero mais da vida, mais de mim, mais do mundo, mais de Deus, mais dos outros, mais, mais, mais, mais… Imediatamente após conquistar algo, mal tenho tempo de comemorar, porque estou ocupada estabelecendo uma nova meta ou conquista. Ou seja, querendo algo além…

Essa busca contínua se levanta petulante e presunçosa na luta entre o espiritual e o carnal, entre a satisfação e o desejo de sempre melhorar, obscurecendo a visão clara e límpida da grandeza da vida diante dos meus olhos. E eu preciso lutar. Lutar sempre. Buscar olhos que enxerguem realização em tudo, coração que encontre satisfação em cada detalhe da vida e mente que descanse diante de cada milagre diário. Todos os dias, eu preciso parar, deliberadamente, para agradecer à Deus tudo que a vida me proporciona.

Hoje me deparei com uma notícia no site da Globo, que me levou a parar tudo, respirar fundo e agradecer. Agradecer por tudo que vivi até aqui, por tudo que tenho vivido no presente e, de antemão, pelos dias que me restam. Sou grata pela minha vida, minha família, meus amigos, minha fé… Grata pelo privilégio de estar viva e totalmente convencida de que o AQUI e o AGORA são as duas únicas certezas de nossa frágil existência.

Leia a reportagem você mesmo e, do fundo do meu coração, eu faço agora uma breve oração silenciosa, clamando para que você seja contagiado pelo mesmo sentimento e aproveite para agradecer HOJE também, já que o AMANHÃ é um mistério.

“Uma adolescente britânica de 15 anos em estado terminal de câncer atraiu mais de 230 mil visitantes para o seu blog no qual relata sua busca em conseguir completar uma lista de 17 coisas que pretende fazer antes de morrer. Alice Pyne lançou seu blog na última segunda-feira, após seus médicos terem considerado que não há mais tratamentos possíveis para o linfoma descoberto há quatro anos.

‘Eu sei que o câncer está me vencendo e não parece que eu vou vencer esta’, diz ela em sua apresentação no blog. ‘É uma pena, porque há tanta coisa que eu ainda queria fazer’, escreveu ela.

Ela prometeu documentar ‘o tempo precioso com minha família e meus amigos, fazendo as coisas que eu quero fazer’. ‘Você só tem uma vida… viva a vida’, complementa.

Em uma mensagem postada após o sucesso do blog, ela escreveu: ‘Nossa, eu pensei que estava só fazendo um pequeno blog para alguns amigos! Muito obrigado por todas suas adoráveis mensagens para mim’.

Entre os desejos da menina está nadar com tubarões, encontrar a banda Take That, visitar uma fábrica de chocolates e inscrever sua cachorra, Mabel, em um concurso. Ela também incluiu em sua lista ‘fazer todo mundo se inscrever para se tornar doador de medula’. Na quarta-feira, com a repercussão de sua história, o próprio primeiro-ministro britânico, David Cameron, prometeu se tornar um doador após ouvir o relato do caso de Alice no Parlamento por um deputado opositor.

O sucesso também a ajudou a arrecadar mais de 10 mil libras (cerca de R$ 26 mil) em doações para uma organização beneficente de pesquisas sobre o câncer. No ano passado, Alice Pyne já tinha ganhado certa notoriedade na Grã-Bretanha ao lançar uma campanha com a associação Anthony Nolan, que ajuda pacientes que precisam passar por transplantes, para encontrar doadores de medula óssea que pudessem ajudá-la em seu tratamento.

Mais de mil pessoas se voluntariaram para doar a ela, mas em outubro os exames médicos mostraram que o câncer havia se espalhado e que já não havia opções de tratamento. Ela passou por várias sessões de radioterapia e quimioterapia, além de se submeter a um transplante com as suas próprias células-tronco, mas os tratamentos não tiveram o resultado esperado.

Em sua apresentação no blog, a adolescente diz que não espera conseguir completar toda sua lista de desejos. ‘Algumas coisas não vão acontecer, porque eu não posso nem mesmo viajar mais’, diz. Um dos itens de sua lista é ‘viajar para o Quênia’. Ela diz, porém, que pensou que seria divertido publicar a lista na internet e ir marcando o que ela for conseguindo fazer, ao mesmo tempo atualizando os leitores do blog sobre o processo.

Graças ao sucesso do blog, porém, ela vem recebendo milhares de ofertas de ajuda para conseguir cumprir seus desejos. Em um comentário postado na quinta-feira, ela conta que vai conhecer o Take That no fim de semana. ‘Estou tão excitada que nem posso esperar. Só espero que não fique doente ou algo estúpido’, diz. ‘Tenho vivido de pijamas no último ano, então minha mãe foi à cidade para comprar roupas para mim’, conta. ‘Parece que outras coisas que eu havia desejado estão sendo organizadas para mim, então obrigado a todos por isso. Eu me sinto uma garota de muita sorte’, afirmou.

Obrigada, Alice, por me ajudar a ver que a vida tem que ser vivida. Por me ajudar a ver que, mesmo em situações muito complicadas e difícies, ainda há razões para agradecer. Por me ajudar a ter um coração mais grato e sereno, e principalmente, por me lembrar de tirar minha própria lista de “coisas à fazer antes de morrer” do fundo da gaveta. Nosso tempo aqui é curto. O importante é viver o hoje. Como você. Aproveite cada segundo, cada momento. Estou orando por você! Que cada um dos seus dias seja um espetáculo imperdível.

Com todo meu amor,

Carolina

Ano Novo, Velhos Consertos…

Depois de um sumiço praticamente natural (e humano!), porque dezembro é um mês abarrotado de compromissos, eu não poderia deixar o Ano Novo chegar e o Velho se despedir sem uma mensagem para meus leitores. Recebi um email de um amigo brasileiro muito querido, por ocasião das Festas de Fim de Ano, sem saber que realmente seria uma mensagem inspiradora para mim. Pesquisei então sobre a autora do texto anexado ao email e me deparei com a escritora Regina Brett! Mais do que um texto, uma filosofia de vida! Vou começar 2011 tentando praticar muitos dos ensinamentos de Regina. Digo tentando, porque será a construção de uma vida inteira, não apenas resoluções de Ano Novo!

Regina escreveu as primeiras quarenta e cinco lições, ao completar 45 anos. Depois, aos 50, inseriu as últimas cinco lições. Peço à Deus que me ajude a envelhecer pelo caminho que ela sugeriu, crendo que poderei também escrever algo de tanto valor, quando chegar meu próprio tempo de amadurecimento.

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3. A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva…
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que vencer toda discussão. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta!
9. Poupe para a aposentadoria, começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. A vida é muito curta para longas piedosas festas. Esteja ocupado vivendo ou esteja ocupado morrendo.
17. Você pode fazer tudo se começar hoje.
18. Um escritor escreve. Se você quer ser um escritor, escreva.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré..
23. Seja excêntrico agora; não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade, além de você.
26. Encare cada chamado “desastre” com essas palavras: em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo a todos.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Independentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato.
33. Acredite em milagres…
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que você fez ou deixou de fazer.
35. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem…
37. Seus filhos só têm uma infância. Faça com que seja memorável.
38. Leia os Salmos. Eles tratam de todas as emoções humanas.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, escolheríamos os nossos de volta.
41. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela AGORA!
42. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
43. Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
44. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
45. O melhor está por vir.
46. Não importa como você se sinta, levante, vista-se e apareça.
47. Respire fundo. Isso acalma a mente.
48. Se você não pedir, você não recebe.
49. Produza.
50. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!

Feliz ANO NOVO! Feliz VIDA NOVA!

Não Importa, SOU Turista Mesmo!

A verdade é que mudei muito nesses dois anos fora do Brasil. Como todo mundo, mudanças boas, outras ruins. Uma das boas é que desenvolvi um olho mais clínico prá Turismo, prá observar o belo em lugares ou situações do dia-a-dia. Prá enxergar Arte e Fotografia em tudo que é canto. Afinal, SOU UMA TURISTA PERMANENTE!

Acompanhe meu raciocínio: quando estou no Brasil, sou turista, porque, embora seja brasileira, não moro mais lá. Quando estou na Austrália, sou turista, porque, embora vivendo aqui, não sou australiana. Não conheço quase nada por aqui. Quando a gente se perde dirigindo nas ruas, fico admirando os novos lugares por onde a gente passa, ruas novas, bairros novos, tudo prá mim é motivo de observar, tirar fotos, admirar…

Claro, esse lugar é lindo até quando é feio. Em qualquer lugar encontramos cenas pitorescas, casinhas lindas, igrejinhas maravilhosas, (amo Igrejas!) lagos e natureza prá dar e vender. Mas mesmo quando estive no Brasil, em julho passado, me pegava observando coisas, lugares, pessoas, enxergando tudo meio diferente, com olhos de turista MESMO! Gosto disso.

Sempre que estamos fazendo alguma coisa com nossos amigos, de repente saco da bolsa minha câmera e todos comentam que sou a mulher das fotos, que fotografo TUDO, mas veja bem… SOU turista! Hahahahahahah! Não sei quanto tempo vou ficar aqui, nem prá onde iremos depois daqui; o futuro não me pertence, de fato. Por isso, quero registrar cada bom momento, como lembrança prá um futuro distante. Ou próximo.

Esse fim de semana que passou, recebemos a visita de alguns brasileiros que estavam em Sydney e vieram conhecer Melbourne. Adoro vida de turista nessa cidade linda. Vou aos passeios (embora já os tenha feito “zilhões” de vezes), tiro fotos, curto mesmo! Cada momento é único, cada visão das coisas é única, cada sensação é exclusiva… Quero ficar em Melbourne até meu último dia por aqui, vivendo, olhando e curtindo tudo com olhos de turista! Essa cidade merece.

Pagando mico no turismo com as amigas brasileiras!

Meu Primeiro Título No “Footy”???

Estamos quase lá… Sábado será a Grande Final do Campeonato de Football 2010! Carinhosamente apelidado de “footy”, é a maior paixão melbourniana! (Já bloguei um pouco sobre isso; leia o post aqui). Diferente do nosso futebol (soccer), mistura meio que um pouco de Rugby, Futebol Americano (pelo corpo-a-corpo e pela passagem de bola com as mãos) e Futebol (já que os gols devem ser feitos com os pés)! Difícil explicar, é preciso ver! E ser totalmente contagiado!

Desde minha primeira ida ao estádio, me apaixonei de cara e entendi totalmente o porque deles A-DO-RA-REM o esporte! É um jogo dinâmico, de força, meio bruto até, mas que vai te tomando de uma forma, que quando você percebe, já está eufórico e torcendo! A vida aqui pára por causa da temporada de footy! O footy está para os melbournianos como o futebol está para os brasileiros! O interessante é que é uma febre apenas por aqui, pros lados de Victoria, e não em toda a Austrália!

E como não podia deixar de ser, nossa família esportista tem seu time, com direito à camisetas, echarpes, chaveiros e tudo o mais! Torcedores tornando-se fanáticos… Hahhahahahahahahah! E esse ano, nosso time está na final! Delícia! Enquanto nosso Corínthians continua lutando pelo Brasileirão, vamos aproveitando as vitórias do nosso alvinegro COLLINGWOOD pelas bandas de Melbourne!

Eles enfrentam nesse fim de semana o ST.KILDA, um dos nossos piores adversários! Mas existe uma onda de confiança e esperança geral de que esse ano o Título será nosso! Para saber mais sobre o “footy”, deêm uma olhada na página da AFL ( a Liga de Football Australiana) e tente conhecer um pouco mais desse esporte tão peculiar… E quando estiver por aqui, não perca a oportunidade de assistir à um dos jogos. É paixão à primeira vista para os amantes do esporte!

Quase Australianos!

Após meses na saga burocrática do Departamento de Imigração Australiano, por fim recebemos hoje a grande notícia: nossa Residência Permanente saiu! À partir de agora, temos todos os direitos de cidadão, com exceção do passaporte australiano, que será uma “novela” à parte ( não percam as cenas dos próximos capítulos)!

Exatos dois anos depois e vamos devagarinho conquistando nosso espaço, nossos sonhos e projetos em “Tão Tão Distante”! Minhas metas de estudar, iniciar uma nova carreira, mudar o rumo da minha vida, enfim começam a tomar forma. Mais um ponto prá Austrália!

E que tempos de comemorações estou vivendo! Aniversário de Melbourne, aniversário de chegada na Austrália, Centenário do Corínthians e agora o início de nossa vida como QUASE cidadãos! Tudo em 4 dias consecutivos! Quanta alegria! Estou ficando mal acostumada, com tantos motivos prá comemorar… Como li em uma frase de internet dia desses por aí, “Não tenho tempo prá mais nada! Ser feliz anda me consumindo MUITO!”

Combino mais do que nunca com essa casinha!
Meus tênis na porta "de casa"!

2 Anos Depois… Inacreditavelmente FELIZ!

Inacreditável. Impossível. Inimaginável. Inatingível. Se alguém me dissesse isso, há um ano atrás, certamente eu riria. Ou choraria. Inacreditavelmente aconteceu. Impossivelmente (existe isso?) real. Inimaginavelmente verdadeiro. Inatingivelmente atingido (essa foi das boas!). Não tenho palavras para descrever o verdadeiro milagre (sim, milagre! Dos bons…) que significa estar aqui blogando sobre meu SEGUNDO aniversário de Austrália!

Para quem não sabe, sofri muito de saudades durante o primeiro ano longe do Brasil. Noites sem dormir. Fiquei várias vezes doente. Literalmente. Corpo e alma. Muito mais alma, o que gerou vários sintomas no corpo. Coração doente, quebrado. Confuso. Abatido, desanimado. Mesmo sabendo a maravilha que é viver aqui. Mesmo conhecendo coisas incomparáveis por aqui. Minha dor era tamanha, que muitas vezes sentia meu peito prestes à explodir. Perdi a conta de quantas vezes chorei. De quantas vezes disse que ia embora. De quantas vezes lutei para não me apaixonar por esse lugar, por medo. Medo de me perder. Medo de perder minha essência. Medo de um dia ter que escolher…

E o medo, se você nunca o experimentou, paraliza a gente. Congela o crescimento. Torna a gente estático, imóvel. E coisa parada apodrece. Fede. Não serve mais prá nada. Por isso digo que foi um milagre. Um toque de Deus em mim. E de repente, UAU! Começo a compreender tantas coisas… Inconscientemente, começo a enxergar meus medos internos… Que amar a Austrália não significa DEIXAR de amar o Brasil. Que ter uma vida legal na Austrália não significa APAGAR as coisas lindas que vivi ( e ainda vou viver) em minha terra! Que aproveitar tudo de incrível que a Austrália tem não significa TRAIR minhas origens. Que viver, falar, ler ou ouvir em outra língua não significa ABANDONAR a língua pela qual eu sempre fui apaixonada. Que conhecer pessoas, fazer novos amigos, não significa ESQUECER aquelas que fazem parte de mim, que me ajudaram a construir quem eu sou… Hoje sou livre para ter OS DOIS!

Hoje meus olhos estão completamente abertos. Não posso perder mais nenhum segundo. Não QUERO mais perder absolutamente NADA dessa oportunidade que a vida está me dando. Que Deus está me permitindo. Como sempre brinquei com minhas amigas, Deus gosta de me mimar. Ele faz isso o tempo todo. Acredito nisso. Piamente. Seriamente. E hoje, dois anos depois, posso dizer de verdade, sinceramente, como nunca disse antes: OBRIGADA DEUS, por ter me trazido aqui. Estou feliz. Inacreditavelmente. Inacreditavelmente feliz! Tão feliz, que mal posso acreditar…

“NÃO HÁ NADA COMO A AUSTRÁLIA!”

175 Anos De Encanto!

Hoje Melbourne comemora seus poucos 175 anos! Uma cidade relativamente jovem, mas muito “madura”! É  a segunda maior cidade da Austrália (fica atrás apenas de Sydney em população!), contando com mais de quatro milhões e meio de habitantes! Depois de viver aqui por 2 anos, sou capaz de me apaixonar de novo todo dia por essa cidade! Meu marido vira e mexe recebe algumas propostas de trabalho em outros lugares e já sabe da resposta: “se estiver disposto à ir sozinho, passar a semana fora e voltar aos finais de semana, fique à vontade!” Só saio daqui para… sei lá onde! Não tenho planos de mudar-me daqui tão cedo, ou talvez nem tão tarde!!!

Tipicamente metropolitana, a cidade conserva suas origens vitorianas, seus prédios e construções maravilhosamente restauradas, somadas à uma modernidade invejável, dando um clima único ao Centro e suas imediações! Passear a pé pela cidade é um dos meus programas preferidos, para observar os prédios, cafés, restaurantes, jardins milimetricamente bem cuidados, obras de arte pelas ruas… Apaixonante!

Sinto-me TÃO privilegiada e presenteada por viver aqui, que peço à Deus sempre para me lembrar de NÃO ME ACOSTUMAR com tudo isso. Não quero viver como muitas pessoas, que de tanto ver, passar pelos lugares, viver ali, acabam achando normal, comum… Deixam de se surpreender com a cidade, com suas pequenas surpresas ao longo do caminho, deixam de admirar o que temos aqui. Tento sempre viver como TURISTA, admirando, parando, observando, curtindo cada momento e ( por que não???) fotografando sempre que possível.

Lembrei-me de uma frase que postei logo que cheguei aqui na Austrália, há dois anos atrás, e ainda hoje, tento vivê-la de todo o meu coração: “Uma pessoa comum maravilha-se com coisas incomuns; um sábio maravilha-se com o corriqueiro” – Confúcio (séc. IV a.C.). Melbourne é efetivamente um lugar incomum, mas a sabedoria vem por não permitir que a rotina e o dia-a-dia a transformem em algo corriqueiro! E escrevi também: Quero ter o dom, o talento, a sabedoria que vem do alto, prá valorizar cada pequeno detalhe…  E fico extremamente feliz em ter pensado assim desde o começo e, mais ainda, por estar de fato vivendo da forma como me propus: me encantando e me apaixonando de novo e de novo por esse lugar mágico!

À beira do Yarra River
Melbourne vista de Southbank
Em Southbank
Jantando à beira do Yarra River
Vista noturna em frente ao Crown Casino