Happy Movember, Australia!!!

Sou completamente fascinada pela forma com que os australianos se envolvem totalmente nas causas sociais. Eles se engajam, participam, envolvem outros e acreditam mesmo na importância da participação coletiva. Novembro é um mês bem peculiar, em se tratando disso. O movimento MOVEMBER é responsável pelo surgimento de bigodes em milhares de rostos de homens na Austrália e ao redor do mundo, com o único objetivo de angariar fundos vitais e de sensibilização para a saúde dos homens, especialmente o câncer de próstata e depressão masculinas.

O movimento começou na Austrália e tem crescido mais e mais a cada ano, em termos de adeptos e angariação de fundos. De forma simples, prática e divertida, os homens deixam seus bigodes crescerem em troca de doações como incentivo. Todo o dinheiro é investido na luta contra o câncer e na busca do crescimento de discussões ao redor do assunto, ainda considerado “tabu” para os homens. Um dos maiores objetivos da campanha é tornar a discussão e tratamento tão comuns e famosos quanto a luta contra o câncer feminino.

A primeira campanha teve a participação de 30 homens (os chamados “Mo Bros”) e, no ano passado, apenas na Austrália, foram mais de 128.000 adeptos, levantando uma quantia em torno de 21 milhões de dólares. Motivados e inspirados pelo que estava acontecendo na Austrália, mais nove países: Nova Zelândia, EUA, Canadá, Reino Unido, Finlândia, Holanda, Espanha, África do Sul e da Irlanda – agora abraçam a causa, alastrando o Mo pelo mundo durante todo o mês de novembro.

Para obter informações detalhadas sobre a Fundação Movember e relatórios financeiros anuais, a saúde dos homens, os programas financiados e o impacto social do Movember, visite:

http://au.movemberfoundation.com/

 

 

Meu Primeiro Título No “Footy”???

Estamos quase lá… Sábado será a Grande Final do Campeonato de Football 2010! Carinhosamente apelidado de “footy”, é a maior paixão melbourniana! (Já bloguei um pouco sobre isso; leia o post aqui). Diferente do nosso futebol (soccer), mistura meio que um pouco de Rugby, Futebol Americano (pelo corpo-a-corpo e pela passagem de bola com as mãos) e Futebol (já que os gols devem ser feitos com os pés)! Difícil explicar, é preciso ver! E ser totalmente contagiado!

Desde minha primeira ida ao estádio, me apaixonei de cara e entendi totalmente o porque deles A-DO-RA-REM o esporte! É um jogo dinâmico, de força, meio bruto até, mas que vai te tomando de uma forma, que quando você percebe, já está eufórico e torcendo! A vida aqui pára por causa da temporada de footy! O footy está para os melbournianos como o futebol está para os brasileiros! O interessante é que é uma febre apenas por aqui, pros lados de Victoria, e não em toda a Austrália!

E como não podia deixar de ser, nossa família esportista tem seu time, com direito à camisetas, echarpes, chaveiros e tudo o mais! Torcedores tornando-se fanáticos… Hahhahahahahahahah! E esse ano, nosso time está na final! Delícia! Enquanto nosso Corínthians continua lutando pelo Brasileirão, vamos aproveitando as vitórias do nosso alvinegro COLLINGWOOD pelas bandas de Melbourne!

Eles enfrentam nesse fim de semana o ST.KILDA, um dos nossos piores adversários! Mas existe uma onda de confiança e esperança geral de que esse ano o Título será nosso! Para saber mais sobre o “footy”, deêm uma olhada na página da AFL ( a Liga de Football Australiana) e tente conhecer um pouco mais desse esporte tão peculiar… E quando estiver por aqui, não perca a oportunidade de assistir à um dos jogos. É paixão à primeira vista para os amantes do esporte!

2 Anos Depois… Inacreditavelmente FELIZ!

Inacreditável. Impossível. Inimaginável. Inatingível. Se alguém me dissesse isso, há um ano atrás, certamente eu riria. Ou choraria. Inacreditavelmente aconteceu. Impossivelmente (existe isso?) real. Inimaginavelmente verdadeiro. Inatingivelmente atingido (essa foi das boas!). Não tenho palavras para descrever o verdadeiro milagre (sim, milagre! Dos bons…) que significa estar aqui blogando sobre meu SEGUNDO aniversário de Austrália!

Para quem não sabe, sofri muito de saudades durante o primeiro ano longe do Brasil. Noites sem dormir. Fiquei várias vezes doente. Literalmente. Corpo e alma. Muito mais alma, o que gerou vários sintomas no corpo. Coração doente, quebrado. Confuso. Abatido, desanimado. Mesmo sabendo a maravilha que é viver aqui. Mesmo conhecendo coisas incomparáveis por aqui. Minha dor era tamanha, que muitas vezes sentia meu peito prestes à explodir. Perdi a conta de quantas vezes chorei. De quantas vezes disse que ia embora. De quantas vezes lutei para não me apaixonar por esse lugar, por medo. Medo de me perder. Medo de perder minha essência. Medo de um dia ter que escolher…

E o medo, se você nunca o experimentou, paraliza a gente. Congela o crescimento. Torna a gente estático, imóvel. E coisa parada apodrece. Fede. Não serve mais prá nada. Por isso digo que foi um milagre. Um toque de Deus em mim. E de repente, UAU! Começo a compreender tantas coisas… Inconscientemente, começo a enxergar meus medos internos… Que amar a Austrália não significa DEIXAR de amar o Brasil. Que ter uma vida legal na Austrália não significa APAGAR as coisas lindas que vivi ( e ainda vou viver) em minha terra! Que aproveitar tudo de incrível que a Austrália tem não significa TRAIR minhas origens. Que viver, falar, ler ou ouvir em outra língua não significa ABANDONAR a língua pela qual eu sempre fui apaixonada. Que conhecer pessoas, fazer novos amigos, não significa ESQUECER aquelas que fazem parte de mim, que me ajudaram a construir quem eu sou… Hoje sou livre para ter OS DOIS!

Hoje meus olhos estão completamente abertos. Não posso perder mais nenhum segundo. Não QUERO mais perder absolutamente NADA dessa oportunidade que a vida está me dando. Que Deus está me permitindo. Como sempre brinquei com minhas amigas, Deus gosta de me mimar. Ele faz isso o tempo todo. Acredito nisso. Piamente. Seriamente. E hoje, dois anos depois, posso dizer de verdade, sinceramente, como nunca disse antes: OBRIGADA DEUS, por ter me trazido aqui. Estou feliz. Inacreditavelmente. Inacreditavelmente feliz! Tão feliz, que mal posso acreditar…

“NÃO HÁ NADA COMO A AUSTRÁLIA!”

175 Anos De Encanto!

Hoje Melbourne comemora seus poucos 175 anos! Uma cidade relativamente jovem, mas muito “madura”! É  a segunda maior cidade da Austrália (fica atrás apenas de Sydney em população!), contando com mais de quatro milhões e meio de habitantes! Depois de viver aqui por 2 anos, sou capaz de me apaixonar de novo todo dia por essa cidade! Meu marido vira e mexe recebe algumas propostas de trabalho em outros lugares e já sabe da resposta: “se estiver disposto à ir sozinho, passar a semana fora e voltar aos finais de semana, fique à vontade!” Só saio daqui para… sei lá onde! Não tenho planos de mudar-me daqui tão cedo, ou talvez nem tão tarde!!!

Tipicamente metropolitana, a cidade conserva suas origens vitorianas, seus prédios e construções maravilhosamente restauradas, somadas à uma modernidade invejável, dando um clima único ao Centro e suas imediações! Passear a pé pela cidade é um dos meus programas preferidos, para observar os prédios, cafés, restaurantes, jardins milimetricamente bem cuidados, obras de arte pelas ruas… Apaixonante!

Sinto-me TÃO privilegiada e presenteada por viver aqui, que peço à Deus sempre para me lembrar de NÃO ME ACOSTUMAR com tudo isso. Não quero viver como muitas pessoas, que de tanto ver, passar pelos lugares, viver ali, acabam achando normal, comum… Deixam de se surpreender com a cidade, com suas pequenas surpresas ao longo do caminho, deixam de admirar o que temos aqui. Tento sempre viver como TURISTA, admirando, parando, observando, curtindo cada momento e ( por que não???) fotografando sempre que possível.

Lembrei-me de uma frase que postei logo que cheguei aqui na Austrália, há dois anos atrás, e ainda hoje, tento vivê-la de todo o meu coração: “Uma pessoa comum maravilha-se com coisas incomuns; um sábio maravilha-se com o corriqueiro” – Confúcio (séc. IV a.C.). Melbourne é efetivamente um lugar incomum, mas a sabedoria vem por não permitir que a rotina e o dia-a-dia a transformem em algo corriqueiro! E escrevi também: Quero ter o dom, o talento, a sabedoria que vem do alto, prá valorizar cada pequeno detalhe…  E fico extremamente feliz em ter pensado assim desde o começo e, mais ainda, por estar de fato vivendo da forma como me propus: me encantando e me apaixonando de novo e de novo por esse lugar mágico!

À beira do Yarra River
Melbourne vista de Southbank
Em Southbank
Jantando à beira do Yarra River
Vista noturna em frente ao Crown Casino

Olhar “Fashionista” Ou Paulista?

Sem nenhuma dúvida, umas das coisas mais peculiares em Melbourne é a MODA e esse será meu alvo de postagem nos próximos dias… Logo que cheguei aqui, não pude deixar de observar… Aliás, vou confessar uma coisa muito muito feia sobre mim! Um dos meus passatempos prediletos é sentar num local bem movimentado e ficar observando as roupas das pessoas que passam. Pronto, falei! Que horror! Mas eu gosto tanto, mesmo me sentindo mal por isso! Afinal, quem sou eu prá observar os outros?

Bem, quem me conhece sabe que sou arrumadinha, certinha, meio tradicional, nem sempre discreta, mas gosto de cuidar do visual, completamente apaixonada por SAPATOS e BOLSAS, de todos os gêneros, jeitos, marcas e preços! Não sou nenhum ícone fashion, longe disso, mas digamos que sou fiel à minha moda e ao meu gosto pessoal. Não me agrido nem vou contra o que curto ou me sinto bem, só porque está na moda! Mas que gosto de observar, isso não tenho como negar…

Melbourne? Prato cheio prá quem gosta de olhar… Um tanto assustador no começo, mas que delícia isso! Primeiro porque todo mundo não tá nem aí prá pessoas como eu, que gostam de observar… tenho a sensação de que as pessoas sequer pensam no que os outros vão pensar delas… São livres. Autênticas. Melbournianas. São elas mesmas. Quando eu cheguei aqui, costumava brincar que as pessoas acordam e pensam: “O que eu quero usar hoje? Bom, quero esse cachecol vermelho, com a bota verde, a minha calça jeans preferida, a camisa xadrez azul e o casaco marron! Isso que eu quero hoje!” E sabe? Elas saem assim! Tudo-junto-misturado-aqui-e-agora! Tá com vontade? Usa e pronto!

No início, meus olhos não aceitavam tal liberdade e ousadia. Sou paulista, metidinha à besta, arrumadinha, com sapato e bolsa combinando ( na verdade, tudo combinando, se possível, obrigada!), cheia de frescuras e não-me-toques… Como esse povo ousa sair de casa assim? Sem contar que elas se vestem desse modo, o que quase me causava arrepios, e estão sempre SUPER MAQUIADAS até prá ir à padaria, e incrivelmente MA-RA-VI-LHO-SAS!!! Eu fazendo um esforço danado prá dar uma melhoradinha, ficar mais ou menos, e essas mulheres nem aí prá hora do Brasil (literalmente), ficam lindas de qualquer jeito e com seu profundo mau gosto!

Mas o mais incrível dessa vida é que a gente muda… Graças à Deus por isso! E ao ser humano que vive mudando de opinião! E que bom que sou uma dessas, que abrem seus olhos e se permitem mudar (nem sempre fui assim, mas isso é assunto prá outro post)! Hoje, sou completamente apaixonada por essa fascinante mistureba australiana! E vou dividir com vocês essa minha paixão, misturada com admiração e respeito por um povo que não está nem aí, e usa aquilo que tem vontade… Eu? Continuo clássica, combinadinha, mas essa miscelânea fashion conquistou meu coração!

  

DEFINIÇÃO PERFEITA…

“Afinal, se é sobre a Austrália, sobre o Brasil, o Corinthians, a Austrália no Brasil, ou o Brasil na Austrália, vocês podem ter certeza que minha mãe blogará.”                                                      Por  Brenda Nepomuceno.

Essa foi a definição que minha filha usou prá descrever minhas prioridades de postagens aqui no Blog… Mais palavras são DESNECESSÁRIAS!!!

Porque a gente sempre fala das coisas pelas quais se é apaixonado…

Nem Tudo É Perfeito!

Ataque de água viva estraga “o melhor emprego do mundo”…

SYDNEY (Reuters) – Era para ser “o melhor emprego do mundo”, mas quase terminou em tragédia para um britânico atacado por uma água-viva quando andava de jet-ski nos arredores da ilha australiana que ele foi contratado para cuidar e promover. A poucos dias do final do seu contrato, Ben Southall disse ter sido atacado depois do Natal por uma água viva conhecida como “irukandji”. “Evitei ser socado por um canguru, mordido por um tubarão e picado por uma aranha ou cobra, mas aí, nos meus últimos dias na ilha Hamilton, fui vítima de uma minúscula criaturinha chamada irukandji”, escreveu Southall no seu blog (http://www.islandreefjob.com/). Southall conseguiu o emprego de zelador dessa ilha tropical, na costa do Estado de Queensland, depois de vencer um concurso global no qual os organizadores prometiam “o melhor emprego do mundo.” O britânico disse que inicialmente o ataque da água-viva parecia “uma pequena ferroada de abelha no antebraço”, mas que logo depois o local estava quente e ele começou a sentir dor de cabeça, dificuldade respiratória e hipertensão. O ataque dessa água-viva pode causar parada cardíaca e morte. Médicos da própria ilha atenderam Southall, que se recuperou rapidamente após uma boa noite de sono.

 (Reportagem de Michael Perry)